segunda-feira, janeiro 29, 2007

Todas nós fomos estupradas

Digo isso numa tentativa de parodiar uma frase da Clarice Lispector no livro : a via crucis do corpo. 'Todos nós sofremos de neurose de guerra'.


(...)


retirado do site psyqweb:

"TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO - 2
A "NEUROSE DE GUERRA" DOS CENTROS URBANOS

Capacidade de Aprendizado e Transtorno por Estresse Pós-Traumático

Alguns estudos em pacientes com Transtorno por Estresse Pós-Traumático se constata limitação da memória e do aprendizado. Contudo por enquanto a maior parte dessas pessoas eram ex-combatentes de guerra e havia uma mistura com alcoolismo nesses grupos o que pode prejudicar a análise dos dados. Jenkins e cols. testaram o comprometimento no aprendizado e na memória de pacientes com Transtorno por Estresse Pós-Traumático por estupro.

Foram 15 vítimas de estupro com Transtorno por Estresse Pós-Traumático, comparadas a 16 pessoas, também vítimas de estupro mas sem este transtorno e comparadas ainda com outras 16 sem experiências traumatizantes (total de três grupos). O grupo com Transtorno por Estresse Pós-Traumático apresentou uma incidência de 53% de depressão severa, enquanto as vítimas de estupro sem Transtorno por Estresse Pós-Traumático apenas 6% e o outro grupo 0%. Foi encontrado um leve déficit na memória nos pacientes com Transtorno por Estresse Pós-Traumático, da mesma maneira como já se havia encontrado com ex-combatentes de guerra.
(...)

Abuso sexual na infancia:
(...)

Quando ocorre dentro do seio familiar (o abusador é o pai ou padrasto, por exemplo), o processo é bastante complicado. Normalmente interna-se a criança para sua proteção, e toda uma equipe trabalha com o clareamento da situação. Por vezes, a criança é também espancada e deve ser tratada fisicamente. A família se divide entre os que acusam o abusador e os que acusam a vítima, culpando esta última pela participação e provocação do abuso. O tratamento, então, é inicialmente direcionado para a intervenção em crise.

Depois, tanto a criança, quanto o abusador e a família devem ser tratados a longo prazo.

Devido ao fato de abuso de menores ser um crime, o tratamento do abusador torna-se mais difícil.


As consequências emocionais para a criança são bastante graves, tornando-as inseguras, culpadas, deprimidas, com problemas sexuais e problemas nos relacionamentos íntimos na vida adulta."



----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------




Destes ultimos sintomas apresentados, que mulher não tem um ou mais, ou pelo menos se sentiu várias vezes na vida...:

[ ]inseguras?
[ ]culpadas?
[ ]deprimidas?
[ ]com problemas sexuais?
[ ]problemas nos relacionamentos íntimos na vida adulta?

'

Problemas sexuais', leia-se = frigidez, não-orgasmo, desgosto por sexo, vergonha do corpo, dificuldade com a própria sexualidade, ausencia da vontade de masturbação ou auto-erotismo, doenças ginecológicas por falta de atenção ao próprio corpo e de informação sobre sexualidade/interesse nesse assunto, tão ditos 'característicos' das mulheres...

Para se ser mulher, 'deve-se' ter sido de alguma forma, estuprada. Só isso nos faz mulheres.

Viva a feminilidade! Oh virtude maior da mulher! O silêncio e o comedimento, o temor e a virgindade.!

Sem comentários: