quinta-feira, fevereiro 01, 2007

"FEMISMO": mais nova invenção lexical misógina






...e o pior é que CERTAS DITAS "(pseudo)feministas" incorporam uma palhaçada dessas, invenção wikipediana de nerds punheteros sem nada melhor pra fazer.

Nunca li coisa alguma científica/academica em estudos feministas com essa palavra...

...há sim menção de algo parecido no que estudos feministas chamam de backlash, um fenômeno moderno de aversão ao feminismo graças à demonização patriarcal feita sobre este.

Ou seja: a palavra é ANTI-FEMINISTA e vem como uma estratégia barata (na qual as pseudo-feministas caem feito idiotas) de coibir, inibir e amedontrar os potenciais feministas...

Femismo pra mim eh discurso de regina duarte: "TENHO MEDO" TENHO MEDO DE RADICALIZAR E PERDER AS CONQUISTAS JÁ GANHAS!

eu pergunto...
QUE CONQUISTAS???????

Aborto , uma questão essencial de saúde humana reprodutiva da mulher, não é direito garantido, 70% das mulheres sofreram violencia domestica, 1 em 4 sofrerão abuso sexual, a cada 15 segundos mulheres são espancadas, configurando uma conjuntura de femicidio ampla nos países. Mulheres são traficadas, prostituídas, pornografadas, ou seja: torturadas. Meninas são afetadas em seu desenvolvimento pleno graças aos estereótipos de gênero. Mulheres são desaparecidas, assassinadas. Mulheres são nada.

Feminismo que não radicaliza não é feminismo. É conversa fiada, falta do q fazer, é discutir o sexo dos anjos, eh pra ficar iludindo mulheres q acham q estão lutando estando no cantinho mais escuro de um aparelho sindical/ong/estatal. Nossa luta não é secundária. Não somos o segundo sexo. Não somos secundárias.

Feminismo de verdade é se colocar de frente com o Patriarcado, e atacá-lo até não restar nada.

É destruir o androcentrismo.
É uma perspectiva critica da história e da cultura, centrada no principio da oposição ao feminino e a natureza: o Patriarcado como sistema economico político e social basilar.

De resto não é feminismo. É merda. É algo que não vai dar em nada. É pauta irrelevante em reunião de grupos de estudo de gêneros ou tema de semana de debates em opressões específicas, das minorias.

É algo pra fazer a gente se sentir realmente uma existente sem força.


É pra destruir toda força revolucionária das garotas que possuem um sentimento que não sabem definir. Que é justamente a contradição do patriarcado, dolorosamente sentida em seus corpos e mentes.


Eu, e creio q muitas de vocês, não são menininhas polidinhas, que se equilibram certinhas em cima de um sapatinho de saltinho cor de rosa, seguram uma bolsinha pequenina e imobilizadora e se portam muito bem, pra não assustar ninguém.

Não somos castas. Não somos comportadas.
E negamos até o fim o PSEUDO FEMINISMO DE VOCÊS.

Párem de comprometer a imagem do feminismo AGORA.


FEMISMO: A POLÍCIA DO PATRIARCADO

Sem comentários: