segunda-feira, fevereiro 12, 2007

A questão não é que o aborto é um assassinato de fetos, e sim que ele vem sendo uma das principais formas de assassinato sistemático de MULHERES já que o aborto clandestino é a 4a maior causa de mortes femininas no Brasil e no mundo...

O aborto, sendo proibido ou não, vai continuar acontecendo. E acontecendo nas piores condições...um grande desrespeito à vida da mulher, algo que denuncia o desvalor de seus corpos e de suas vidas nesse país, porque é uma proibição com um custo muito grande pra nós e que serve só pra satisfazer aos machistas e religiosos inconsequentes.

Há feministas que defendem aborto, há também feministas que são contra, mas não são contra a existencia desse direito, mas sim favoráveis a que haja um incentivo maior às campanhas de informação, formação sexual da mulher, disposição de meios contraceptivos e etc, é o que deveria estar acontecendo.

O aborto nunca foi defendido como um método contraceptivo, mas sim como um recurso último se caso ocorrer, a mulher não fique desamparada e morra de hemorragia uterina por ter tentado abortar com agulha de tricô, tomando misturas químicas esdrúxulas ou na vizinha e em clínicas clandestinas sem fiscalização, morram de infecção hospitalar, ou sobrevivam sem um útero, ou inferteis, ou com complicações ginecológicas pro resto da vida...

Proibição do aborto é um dos maiores absurdos ainda existentes...Pra que serve??
Com certeza tem um aspecto essencialmente coercitivo e punitivo, uma forma de constranger a liberdade sexual da mulher, faze-la ter culpa de ter nascido mulher, puní-la por se-lo, obrigá-la a ocupar seus corpos com algo que não quiseram e não planejaram, que por vários motivos aconteceu e terá de arcar com o peso de seus corpos aprisionados a reprodução...

Se as mulheres engravidam acidentalmente, deveria se ter compreensão pois em 100% dos casos elas engravidaram por serem vítimas e se verem em uma cilada da sociedade machista e coercitiva sexualmente...



Não existe essa história de "foi irresponsável"...Sempre tem um motivo, e um dos maiores é a falta de informação sobre o funcionamento dos seus corpos e desconhecimento da própria sexualidade. Afinal, nossos corpos são uma vergonha pra nós, são encobertos de nós até chegarmos na puberdade, muitas vezes despreparadas e PRINCIPALMENTE DESCINCENTIVADAS...porque sexo não é assunto de mocinhas, e seus corpos e desejo são motivos de vergonha pra nós..., chega na hora vai acontecer, e muitas vezes a cabeça dos dois está povoada de fantasias sobre a contracepção, sexualidade, e tudo mais...numa sociedade que ao mesmo tempo superestimula a juventude a isso, e não dá na mesma proporção recursos pra que lidem da melhor forma com isso...

Isso sem contar que, antes dos 18 anos, é exigida tutela dos pais nas visitas médicas, e maior parte da população não tem seguro saúde pra ir no ginecologista com frequência, e vai ter que descobrir sozinha como administrar os contraceptivos, com o agravante de que tomarão sem prescrição médica adequada pro seu metabolismo, e se forem só com preservativo ele tem 20% de chance de falhar.

Só o que resta é culpa pra gente, punição por desejarmos ser "uma galinha que quer voar" como diz uma mulher no filme Desmundo, sobre o tráfico de garotas órfãs pra servirem de reprodutoras sexuais pros colonizadores do Brasil de 1500.

Ora tem vários motivos pelo qual se pode engravidar, acho que as pessoas tem um ritmo e errar é parte de seu desenvolvimento...em geral quem engravida sem planejar são os mais jovens, justamente os mais despreparados pra tudo isso...enfrentando suas crises e tudo mais, incompreendidos, julgados, culpados, necessitando transgredir, se autodestruindo e descuidando da sua saúde. E sabemos o quanto isso é foda pras mulheres em especial.

Por trás da proibição do aborto está a lógica patriarcal, em que o corpo das mulheres está nas mãos de um estado controlado por homens, e isso trás a lógica de que os filhos são de propriedade dos homens,assim como o corpo das mulheres, que serve a reprodução de herdeiros, cidadãos guerreiros, proletários explorados, consumidores vazios...



Enfim: quem tem que decidir isso são as mulheres, e não os terceiros...que nunca vão saber como é isso, passar por isso, e SER MULHER...ter um útero e um corpo e a dor de sentir que ele não é seu.

Sem comentários: