domingo, novembro 23, 2008

Quando Feministas Tomam Conta de Homens


Fesministas tomam conta de homens (e o mundo tal como criado e visionado por homens, realmente):

1. Quando elas emprestam crédito ou dão mais peso para o que é falado por um feminista que nasceu homem do que para uma feminista que nasceu mulher assim como o patriarcado faz;

2. Quando questões específicas para aquelas nascidas mulheres são de menor significância, interesse ou importância para elas do que questões específicas para aqueles nascidos homens, apenas como é a verdade das instituições patriarcais;

3. Quando elas escolhem alianças com homens que se auto-identificam como feministas ou pró-feministas à alianças com mulheres feministas;

4. Quando elas falharam em prezar, defender e protejer espaços reservados especificamente para o restabelecimento, construção coletiva e libertação daquelas nascidas mulheres e mulheres marginalizadas dedicadas a essas;

5. Quando elas falharam em distinguir entre essencialismo biológico e acontecimentos encobertos, iluminação e interrogação da única e específica opressão daquelas nascidas mulheres sobre a hetero-supremacia masculina;

6. Quando elas marginalizam, silenciam ou atacam mulheres que se dedicaram para as questões e interesses daquelas nascidas mulheres, assim como o patriarcado faz;

7. Quando elas defendem e protegem a criação da pornografia e prostituição e tráfico de mulheres (as quais elas podem chamar de alguma coisa diferente, apenas como o patriarcado faz);

8. Quando elas vêem noção de irmandade e solidariedade entre mulheres como antiquadas, passadas e retro(ativas) e não protegem e defendem a comunidade das mulheres, comunidade lésbica em particular;

9. Quando elas participam dos acontecimentos rasurados do "L" em "GLBT" (QDA).

10. Quando elas não vêem nenhum problema com a liderança masculina e/ou a cooptação de organizações feministas, instituições, eventos e estudos e ignoram, silenciam ou atacam mulheres feministas que objetam envolvimento macho e liderança;

12. Quando elas endossam ou suportam a suplantação de programas, instituições e recursos de 'estudos de mulheres' , com programas, instituições e recursos de estudos de "gênero";

13. Quando elas falham em reconhecer e vigorosamente advogar por e mentorar jovens brilhantes pessoas nascidas mulheres e ao invés, encorajam e advogam por aqueles nascidos homens;

14. Quando elas minimizam a significância e importância de separatismo lésbico, separatismo radical feminista, e comunidades separatistas de mulheres em geral, sua importância pro movimento de libertação de mulheres, e então participam em sua tachação e eliminação;

15. Quando elas usam o termo 'o que há no meio das pernas' de uma forma a minimizar ou apagar a significancia e sentido das experiências daquelas nascidas mulheres sob supremacia masculina;

16. Quando elas rejeitam, silenciam ou anulam, silenciam ou apagam as vidas de mulheres feministas e womanistas que são anciãs e falham em respeitar honrar e defendê-las quando necessário;

17. Quando falham em reconhecer que mulheres são um povo colonizado;

18. Quando elas falham em investigar e iluminar os mecanismos, dinâmicas e história de colonização emocional, física, espiritual e histórica colonização e subordinação daquelas nascidas mulheres por aqueles nascidos homens;

19.Quando elas desacreditam ou minimizam a significância da cultura de mulheres;

20. Quando elas participam das divisões no meio das mulheres feministas que são causadas em um caminho continuado por auto-identificados homens feministas;

21. Quando elas são lesbofóbicas, separatista fóbicas e radfem fóbicas.


Heart
http://womensspace.wordpress.com/2006/05/12/all-the-ways-feminists-take-care-of-men-1/