terça-feira, dezembro 23, 2008


Up Your Ass

(trecho da peça de Valerie Solanas)



Bongi: Há uma pequena máxima bem engenhosa - enquanto a mão está balançando o berço ela não balançará o barco.
Ginger: Existem muitas mãos masculinas por aí para fazer qualquer tumulto necessário.

Bongi: Eu encontrei relativamente várias mãos masculinas peludas e velhas no meu dia, e não é o barco que elas querem agarrar.

Cat: Por que deveria ser? É um mundo de homens.

Bongi: Apenas por descuido.

Ginger: Descuido ou não, eu acho que é maravilhoso.

Cat: Claro, em um mundo de homem vocês largadas tem a última arma - sexo.

Bongi: Então por que nós nunca tivemos 1 presidente sexy?

Cat: (para Bongi) Por que você não se candidata a presidente?

Bongi: Nah, eu gosto de pensar grande.

Ginger: Pessoalmente, eu odiaria ver uma mulher presidente.

Cat: Por quê? Mulheres são tão boas quantos os homens em todos os aspectos.

Bongi: Eu já tive o bastante dos seus insultos.

Ginger: Bem, quer elas sejam ou não, nós nunca teremos uma. Nunca! Nós nunca tivemos... ("aquela" voz) ...e nunca teremos. Teremos, Russell?

Russell: É impensável.

Bongi: Talvez ser presidente não seria uma idéia tão má: eu poderia eliminar o sistema monetário, e deixar as máquinas fazerem todo o trabalho.

Cat: Obrigada pelo aviso. Terei certeza de não votar em você. Claro, eu gostaria de não precisar de ganha-pão - eu não desejo ter de combinar casamento e uma carreira - mas as largadas podem precisar dele. Você sabe o S no símbolo de dólar? Aquilo significa sexo.

Ginger: Na verdade, há algo a ser dito pelo sistem de Bongi; homens precisam de tempo ocioso.

Cat: O que eu farei com todo o ócio? Deitar por aí com uma grande ereção?

Ginger: É um pecado amarrar os homens aos trabalhos. Homens são os caçadores...

Cat: É, eu tenho feito isso bastante.

Ginger: ...os aventureiros; eles deveriam ser livres para sair e inventar e explorar, voar para o desconhecido.

Russell: E deixar as crianças com as mulheres? Corroer meu filho com femininidade? Nunca! Quando mães não estão competindo estão servindo de mães; você tem que manter o olho nelas de perto. Eu quero que meu filho seja o melhor possível de todos os homens.

Bongi: Você quer dizer uma mulher mal-feita.

Russell: Quando ele crescer eu quero ser capaz de apontar para ele e dizer: "Aí vai meu filho - o homem." Eu quero viver em uma cultura masculina.

Bongi: Essa é uma contradição de termos.

Russell: Eu quero um ambiente forte, viril.

Bongi: Então por que você não vai se exibir no ginásio YMCA?

Cat: A guerra dos sexos - ela vem se intensificando por séculos.

Bongi: Eu sei como nós podemos eliminá-la.

Cat: Como?

Bongi: Já ouviu falar de determinação de sexo?

Russell: Nunca! Nunca! Não é natural. Sempre existirão dois sexos.

Bongi: Homens são totalmente irracionais; eles não podem ver porque deveriam ser eliminados.

Russell: Não! O sistema de dois-sexos precisa estar certo; ele tem sobrevivido por centenas de milhões de anos.

Bongi: Assim como a doença.

Russell: Vocês não podem apenas determinar nosso fim. Nós não permitiremos; nós nos uniremos; nós lutaremos.

Bongi: Você também pode resignar-se: eventualmente a expressão "fêmeas da espécie" será uma redundância.

Russell: Você não sabe o que uma fêmea é, sua monstruosidade assexuada.

Bongi: Completamente o contrário, eu sou tão fêmea que sou subversiva
.